sábado, 28 de junho de 2014

Hoje é dia de orgulho!











Hoje é dia de orgulho!

Apesar de todos estarem prestando atenção em jogo de futebol e tudo o mais. Hoje, é um dia especial! Um dia para se orgulhar. Faz 45 anos que a voz de quem era oprimido e humilhado se levantou contra isso e iniciou uma luta. Após aquele dia, as pessoas não puderam mais nos ignorar e cá estamos.
Firmes e fortes mostrando que não somos crias do inferno ou aberrações e sim pessoas!
Há 45 anos, no bar Stonewall, o povo LGBTT se levantou contra a opressão policial (lembra algo dos dias de hoje?) e demos uma basta na repressão. A batalha de Stonewall serviu de exemplo para todos nós, para não baixarmos a cabeça e termos orgulho de quem somos! E pensar que nos dias de hoje, estes heróis seriam chamados desocupados e vândalos. Mas o vandalismo que é feito conosco todos os dias, isso ninguém leva em consideração.
Toda vez que somos chamados dos mais variados nomes para nos diminuir e menosprezar, quando na verdade se vê uma clara inveja da nossa liberdade, toda a vez que somos apontados, excluídos e agredidos (moralmente e fisicamente). Quando muitos são expulsos de casa, quando são submetidos as mais variadas humilhações apelidas de cura (mesmo que não estejamos doentes) , quando somos motivos de risada, ou quando se pré-supõe que você vai dar em cima de qualquer hétero sexual que cruzar o caminho. E nos dias de hoje, que faça festa para comemorar que podemos andar de mãos dadas nas ruas, que podemos levar nosso(a) parceiro(a) para almoçar em casa, que estamos ganhando direitos civis antes negados. Sim, comemoremos tudo isso!
Mas também temos que continuar o que foi feito. Há muito ainda por se alcançar e muitos ainda que nos temem portanto nos excluem e nos acusam de coisas que nunca fizemos (destruir a família por exemplo). A invisibilidade trans ainda é uma realidade e muito reacionários ainda tentam nos perseguir nos classificando como se nós fossemos os fascistas em um ridículo rótulo “gayzistas” quando na verdade, quem nós nega direitos são eles. Um clássico caso de inversão de valores!
Ainda há muito a se fazer! Mas se conseguimos tanto até hoje, então é possível mudar sim!

Ass. J.R. Weingratner Jr.

Nenhum comentário:

Postar um comentário