domingo, 9 de outubro de 2011

Bienal do Mercosul: Uma das melhores edições!!!

Bienal do Mercosul: Uma das melhores edições!!!

A bienal do MERCOSUL mereceu um post a parte aqui no blog. Depois de ver todos os espaços, agora sei que é algo que recomendo abertamente a todos. Isso nem sempre foi verdade... houveram edições terríveis. Sem sentido ou propósito! Mas a 8ª superou minhas expectativas.
Nas outras edições estavam lotadas de obras que não fazem nenhum sentido e das quais não consigo tirar nada delas para ter minha leitura. Mas o tema adotado pela bienal esse ano foi “Fronteiras – ensaios da geopolítica”. Logo a s obras giraram em torno dos temas referentes a fronteiras de todos os tipos... reais, imaginarias, sexuais, ideológicas e por ai vai.

Bom, eu comecei pelo cais do porto onde reúne a maior parte das obras. Destaque aos artistas que trabalharam com Bandeiras e sobre as questões do oriente médio. A obra do Morro do alemão também chama bem atenção para a importância que a comunidade tem sobre o estado. Ah sim... no ultimo armazém vão ver o coral das queixas, feito em Teutônia. Muito bom.




Mas o mais legal da bienal é com certeza a mostra “cidade não vista”, que visa chamar atenção para arte que a cidade não vê. E tem dois destaques que devem ser feitos. A frente da prefeitura de Porto Alegre foi construído um andaime que leva até o relógio que é no topo. Lá foi construído um quarto para simular a residência de alguém. Achei genial. Depois que acabar a bienal não será mais possível ver as estátuas de perto ou mesmo o relógio. Como podem ver na foto. A obra é de Tatzu Nishi.








Eu e o Bio na foto!^^

Outro é o jardim do palácio Piratini que nunca é visto em nenhuma circunstância e não é utilizado em nenhum momento. A obra de Santiago Sierra abre esse jardim ao público para admirar o cenário ao som dos hinos do MERCOSUL ... ao mesmo tempo. Vale ir para se ver o palácio por dentro já que nunca se é possível ver ele em nenhum hipótese. Pode-se ver até um pouco da parte residencial do palácio que não é usada há 12 anos (o último governador a usar foi Olívio Dutra... já se passaram 3 que não foram morar no palácio)... mas o que mais choca é que é um lugar lindo, que é muito bem cuidado e nunca é utilizado. Um dinheiro público sem nenhum objetivo. Engraçado que a globo gravou uma novela no local... parece que para eles o jardim abre.
Abaixo, vista interna do jardim.


Bom, maiores detalhes sobre a bienal aqui no site oficial.

http://www.bienalmercosul.art.br/

Um comentário:

  1. Concordo!
    Também achei uma das melhores edições da Bienal! Essa mistura de fronteiras deixou a mostra muito mais interessante e também notei a diferença nos mediadores do cais do porto, que estão muito mais dipostos e talvez melhor preparados para explicarem as obras o que torna tudo mais claro. Gostei muito do MARGS e essa mostra do "Cidade Não Vista" está sendo um achado (literalmente), pois está dando a oportunidade das pessoas verem coisas e lugares únicos, belos e nunca vistos antes.
    Belo post!
    Abraços!
    Fábio!

    ResponderExcluir